sábado, 12 de agosto de 2017

ACEITAR(SE) NA VIDA E NA ARTE



Se alguém quiser ser mais
para inovar – afiada e livremente –
na arte, na musicalidade
___ ou na poesia,

deve aceitar, primeiramente
e por completo, o cântaro da própria
___ abnormidade humana,

e ousar atingir,
em algum momento,
a transitiva e sublime moradia
___das sombras.

Paradoxalmente,
deve descobrir-se, à nefasta natureza
que adultera a todo
___ momento,

como um deus apócrifo,
dissimulado e ousado, capaz de criar
 de recriar suas próprias estórias
___ e imensidades,


a fim de que
consiga ultrapassar os arraigados
limites das regozijadas
___ purezas,

lançadas aos mares,
aos ares e aos montes de ouro
pelos vertebrais
​​​​​​​___ sapiens.